Jovem morta em assalto na BA é lembrada durante procissão no AM

06/04/2012 21:50

Jovem morta em assalto na BA é lembrada durante procissão no AM

Estudante foi morta no dia 6 de março de 2012 em Salvador (BA).
Movimento teve início nas redes sociais.

 

Tiago Melo Do G1 AM

 
Movimento Consciente pela Paz reuniu mais de setenta pessoas (Foto: Tiago Melo/G1 AM)
Consciente pela Paz reuniu mais de setenta pessoas (Foto: Tiago Melo/G1 AM)

Durante a Procissão do Senhor Morto, realizado na tarde desta sexta-feira (6), com saída da Igreja de Nossa Senhora de Fátima em direção à Catedral Metropolitana de Manaus, um grupo de mais de setenta pessoas se reuniu em prol do fim da violência no Brasil.

O grupo, formado principalmente por familiares, amigos e colegas de faculdade de Natália Penhalosa Duarte, estudante morta no dia 6 de março de 2012 em Salvador (BA), adotou o nome de Movimento Consciente pela Paz.

O movimento, que acompanhou a procissão, teve início nas redes sociais e começou modesto, conta o irmão da vítima, João Paulo Penhalosa. “Começamos com a campanha no facebook um pouco após o incidente, de forma modesta. Contudo o movimento foi crescendo e já contamos com cerca de quatrocentas pessoas, porém muitas delas não participam pessoalmente”.

Movimento em prol da paz no Brasil (Foto: Tiago Melo/G1 AM)
Movimento em prol da paz no Brasil (Foto: Tiago
Melo/G1 AM)

Segundo João Paulo, o objetivo do movimento vai além de uma simples passeata pela paz. “Estamos criando uma rede de pessoas que queiram se unir contra a violência e contamos atualmente com a ajuda de professores universitários que estudam os casos de violência contra jovens não somente em Manaus, com em todo Brasil”.

A manifestação, resultado da vontade de Nattasha Hayden, Juliana Siqueira, ambas amigas da vítima, e de João Paulo Penhalosa Duarte por fazer algo diferente, contou com diversos cartazes com mensagens e fotos de Natália, além dos participantes terem vestido somente a cor branca.

Para um dos amigos de Natália, que preferiu não se identificar, o movimento também serve para mostrar toda a solidariedade para com as pessoas que passaram por casos semelhantes. “O movimento é também uma de maneira de unir todos aqueles que já perderam seus amigos e familiares, da mesma forma como perdemos Natália”, explicou o amigo da moça.

“Para nós, Natália se tornou um símbolo de perseverança, para nunca esquecermos que ela também lutava por aquilo que acreditava. E é isso que faremos, lutaremos pelo fim da violência contra os jovens no Brasil”, completou emocionado João Paulo.